Médico diz que peido pode transmitir Covid 19

Recebi a notícia em questão pelo Whatsapp. Através do link https://www.dm.jor.br/coronavirus/2020/04/medicos-diz-que-peido-pode-transmitir-covid-19/ onde era informado pelo Dr. Normal Swan, um médico popular na Austrália, que  “as pessoas devem evitar o, popularmente conhecido “peido”, perto umas das outras para impedir a propagação do coronavírus. Ele acrescentou que é responsabilidade de todos não peidar perto de outras pessoas. Além disso, certifique-se de não peidar com as nádegas nuas.”  Apesar do médico fazer a afirmação em tom de brincadeira, ele salienta que havia sido descoberto recentemente que pessoas infectadas com o coronavírus podem transmitir o vírus através de suas fezes.

A notícia surgiu em diversos sites e blogs no final de abril de 2020 e, de acordo com o texto amplamente compartilhado nas redes sociais, um médico teria afirmado que os cientistas teriam descoberto que o vírus causador da COVID-19 pode se espalhar através da flatulência. O que sabemos até o presente momento é que o vírus corona pode ser infectado com objetos, gotículas (aspersão de saliva), e o que há de novo são as fezes de uma pessoa. Agora, acredita-se que os peidos transmitam o coronavírus.

Alguns estudos feitos em Abril de 2020 concluíram que fechar a tampa do vaso sanitário é altamente recomendado em meio ao surto de coronavírus, pois o vírus pode se espalhar através de matéria fecal que escapa da bacia durante uma descarga.

Apesar disso, não há nenhuma comprovação (e também não há estudos sobre isso) de que o peido transmita o coronavírus, diz o site E-farsas.com  (https://www.e-farsas.com/e-verdade-que-o-peido-pode-transmitir-a-covid-19.html.)

Não conheço a seriedade deste site, E-farsas.com, mas ele trabalha desmistificando histórias na internet desde 2002.

O site www.mdig.com.br (https://www.mdig.com.br/index.php?itemid=49085) também informa que não existem estudos que confirmem esta possibilidade.

A notícia também foi citada em outros sites como:

https://planetafolha.com.br/24/04/2020/coronavirus-medico-diz-que-peido-pode-transmitir-o-covid-19/

http://informatudodf.com.br/2020/04/24/medico-diz-que-peido-pode-transmitir-covid-19/

http://caririligado.com.br/medico-diz-que-peido-pode-transmitir-covid-19/

 

Apesar de disseminada em vários sites e blogs, de acordo com  a OPAS Brasil e a OMS no link:

(https://www.paho.org/bra/index.php?option=com_content&view=article&id=6101:covid19&Itemid=875)

Fica esclarecido que o vírus se espalha da seguinte maneira:
“As pessoas podem pegar a COVID-19 de outras pessoas que têm o vírus. A doença pode ser transmitida de pessoa para pessoa por meio de pequenas gotículas do nariz ou da boca que se espalham quando uma pessoa com COVID-19 tosse ou espirra. Essas gotículas podem pousar em objetos e superfícies ao redor da pessoa – como mesas ou celulares. As pessoas pegam COVID-19 quando tocam nesses objetos ou superfícies com as mãos ou outra parte do corpo e, em seguida, tocam os olhos, nariz ou boca. As pessoas também podem pegar COVID-19 se inspirarem gotículas de uma pessoa com COVID-19 que tosse ou espirra. É por isso que é importante ficar a mais de 1 metro de distância de uma pessoa doente.”

Quanto a possibilidade de se pegar COVID-19 de fezes de alguém com a doença, eles informam que:
“O risco de pegar COVID-19 de fezes de uma pessoa infectada é aparentemente baixo. Embora as investigações iniciais apontem que o vírus possa estar presente nas fezes em alguns casos, a disseminação por essa via não é uma das características principais do surto. A OMS está avaliando pesquisas em andamento sobre a maneira como o vírus que causa COVID-19 é disseminado e continuará a compartilhar novas descobertas. Esse é mais um motivo para limpar as mãos regularmente, depois de usar o banheiro e antes de comer.”

E informam ainda que “a OPAS e a OMS estão avaliando pesquisas em andamento sobre a maneira como o vírus causador da COVID-19 é disseminado e continuarão a compartilhar descobertas atualizadas.”

Dessa forma fica esclarecido que a notícia em questão não tem precisão, já que ainda não existem estudos que garantam essa afirmação.